15 outubro 2011

Flávia Neves Responde

Leitora: Flavia, a obra Expurgo trata-se de uma psicografia?
Flávia: Não, Expurgo não foi psicografado (costumo brincar que, "não que eu saiba" rsrsrsrs). Embora de fulcro espiritualista e, norteado dentro dos preceitos de Kardec, Expurgo foi feito de forma a preencher questionamentos, tais como "tudo e todos" que atuaram junto a humanidade, antes de Cristo, "os denominados deuses pagãos" , por exemplo, eram então apenas embustes? Se não eram embustes, qual o papel deles, aliás, quem eram ELES? A lição maior de Expurgo, entretanto, é a do julgamento daquilo que nos é imposto como certo ou errado (bem ou mal), e os apontamentos sobre quem fez "o quê" e "a quem". Havendo falta comprovada aos olhos de nosso Criador, A QUEM, Nosso Bem Amado Mestre Jesus, O Cristo, concederia o direito de se aplicar a Justiça, sobre cada um de nós, individualmente?! Sobre Judas, especificamente, ao menos em Expurgo?! É isso... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário