15 outubro 2011

Pai Nosso interpretado por Abdrushin

PAI NOSSO (meu e de meu pior inimigo, de todos) que estais NO CÉU (pois a Terra é a escola de teus filhos, morada transitória e não vos comporta) santificado seja teu nome (seja qual nome for, ÉS O QUE ÉS) venha a nós o teu reino (leva-nos em regresso pra casa), seja feita A SUA VONTADE (inda que eu não a entenda) assim na terra como no céu (um é reflexo destorcido e corrompido da perfeição do outro), o pão nosso de cada dia nos dai (alimentando corpo e espírito, através das provações da alma), perdoai as nossas ofensas assim como perdoamos a quem nos ofende(sois nosso pai, a ti cabe a justa correição de cada qual) não nos deixe cair em tentação e livrai-nos do mal(inda que isso nos custe o corpo orgânico)...
Não copiei em íntegra, o livro não está agora a meu alcance, apenas repassando dentro da conceituação proposta. E Abdruschin sai, se desprende da temática piedosa da caridade e nos puxa as orelhas; tipo por qual razão ELE teria de voltar, PQ NÃO NÓS teríamos de nos obrigar a IR DE ENCONTRO A ELE, quem seríamos nós para ficar, "de pirrraça", batendo o pé e insistindo para que ELE regresse a nos buscar...se a obrigação de evoluir é nossa, não dele. É muito interessante a quebra da apatia humana proposta na busca do nosso amado Cristo.

Um comentário:

  1. A ACADEMIA MACHADENSE DE LETRAS (Machado-MG) comunica que estão
    abertas as inscrições para o VIII Concurso Plínio Motta de Poesias, do
    ano 2011. As inscrições vão até o dia 21 de outubro de 2011.
    Entrem em contato para adquirir o Regulamento:
    a/c Carlos Roberto machadocultural@gmail.com
    ESTE CONCURSO ESTÁ ABERTO PARA TODOS!

    OBS: O VALOR DA INSCRIÇÃO ( 2 REAIS) PODE SER COLOCADO DENTRO DO ENVELOPE COM AS 6 CÓPIAS DA SUA POESIA.

    ResponderExcluir