31 janeiro 2013




Grandioso Mestre, Mestre a quem recorro, e de quem fujo, humana que sou em imperfeições e fraquezas... eis-me no aguardo de que trave por mim, minhas lutas, e desconsidere, quando me for oportuno, as minhas faltas...Tolos de nós, Senhor, enquanto não percebemos que sois o caminho (quem percorre o caminho somos nós) e a vida(e quem vive a vida...também!). F.

Nenhum comentário:

Postar um comentário