13 março 2013

Precatórios Mineiros início de 2013

O mundo não acabou em 2012. E daí? Sobrevivemos a quê? Pra quê? Acordamos dia 23, 24, 24 de Dezembro de 2012, e? 1º de janeiro de 2013, 1º de fevereiro, 1º de março...
Posso antecipar que no judiciário, ao menos na esfera em que atuamos, continua tudo na mesma. O governo pretende continuar decotando o valor devido aos cidadãos, os senhores do direito que pelo Estado respondem, em conluio com os homens da capa preta que pela Justiça bradam, espumam a rosnar contra os credores, "estão pegando O BOI por estarmos pagando ao menos isso!", dizem Magistrados aos advogados das partes, diante a oponentes estarrecidos com o desalinho da terminologia técnica ou ética do Exmo. Sr. Data Vênia"... E as filhas da viúva, amordaçadas e trancafiadas na torre, todas três, assistem seus irmãos se engomarem, aprontados em saudação conivente para construírem fama e reputação de Mestres, Mestres em quê? Na burlosa e duvidosa arte de se corromper valores, cifras e direitos...Enfim, disso, é lamentável, mas o tempo com sua foice precisa, e a história com sua pena afiada se encarregarão de jogar por terra. Mas e até lá? Até lá, o choro e o ranger de dentes dos inocentes que foram pela injustiça mutilados, ensurdecerão os poucos que tiverem consciência, e da torre as filhas da viúva, todas três, sofrerão!
NÃO SE FURTA VIÚVAS, está no estatuto divino e humano; sejamos pessoas comuns ou entidades, sejamos autoridades, leigos ou doutores; o que é certo é certo, o que é justo é justo e não deve ser alterado, é fato! Isso é um ato caridoso.
NÃO SE BARGANHA COM O QUE É JUSTO!
DÍVIDA É DÍVIDA! 2=2 e 5=5, Agiotagem é crime, fraude a credor também o é, por mais maquiada que esteja a traquinagem! Pagar o que se deve É O MÍNIMO esperado dos responsáveis pela sociedade, pelo Estado e suas Autarquias. Não se delibera, não se avalia custo e benefício de ombridade, de caráter, de direito e dever! Um triangulo não pode ser um triangulo se um que seja dos lados estiver desigual!
O ESTADO, ATRAVÉS DOS TRÊS PODERES SERVE AO POVO, e não o contrário! Os prestadores de serviços públicos nomeados, eleitos ou concursados saibam em primazia a quem sevem!
A Fé foi feita cativa, a Esperança esfomeada acantonou-se deprimida e com tendências suicídas e a caridade, ah! A caridade tenta manter as demais vivas por amor, nada mais.
Deus obra, o fóda é que não se ouve as picaretas, e o silêncio deixa insuflado o peito dos pavões. Deus obra, mas lentamente e abranda as dores futuras, não as atuais; é bom e útil perceber, ver a justiça sendo feita e em perfeita harmonia com o direito, inda que vez ou outra e no caso dos precatórios de viúvas e órfãos com direitos legitimados judicialmente, de bom alvitre que fossem ouvidos seus lamentos.
Engasga a voz, e a ferida é maior se sentida que a marreta opositora ao bem e ao que é bom venha de braços e mãos formados e iniciados em ventres um dia enlutados. Quantas viúvas sãos as mães desses filhos, e por quantas vezes ficarão suas mães de luto? 
Os que tiverem ouvidos que ouçam!
As filhas da viúva são apenas três, conquanto os varões sejam milhares e se espalhem entre a civilização dos mais baixos aos mais altos patamares, jamais se esqueçam que embora violadas elas detém, e sempre foi assim, a verdadeira autoridade, emanam o real poder, sabem quando o usar.
Ah sim, eu estou denunciando publicamente "às suas respectivas lojas e a quem interessar possa" todo e qualquer "são poucos, mas estão em conluio" filho da viúva mineiro que esteja corrompendo o direito no tangente aos títulos judiciais, (os apontando a seus irmãos desencarnados, dos que estão na carne não me dou ao luxo ou a sentimentalidade inocente de esperar nada não), e peço Àquele que tudo vê, responsável pela estrutura e embasamento do que é justo e perfeito, que interceda fortalecendo a tolerância das partes afetadas, elevando a sabedoria de ao menos um dos membros que possa ser sensato, e que aos demais dê tempo e vivência, muitas circunstâncias possam maturá-los, infantes e amadores a brincarem com milhões do erário público e milhares de vidas, cada qual com sua trajetória mais sofrida que a outra. O mal feito ronda as Minas Gerais, terra dos mais nobres entre OS NOSSOS! Tem de haver para o Grande Arquiteto razão para permitir tamanha ousadia daqueles que além de um D e um R a frente de seus nomes, a seus mal feitos malogram com sua insígnia!
Como já dizia Abraão Lincoln: Uma casa divida entre si não se sustenta! Parece que dou mais valor à casa da viúva, à viúva e seu verdadeiro filho, que muitos dos adotados; e da viúva, pobre de mim, NADA, absolutamente nada sou.
Magoada com isso; muito magoada por ver e sentir na pele a régua e o compasso no judiciário mineiro se prestando a formação de hordas a privarem justamente a VIÚVAS de seus direitos.
Não calculam a mutilação que me causa ao peito, a dor que me inflama tão acinte! Onde estão meus bodes? Jazem todos no umbral dos esquecidos?
Que Hiram e Osíris me recebam na hora funesta e me digam que tamanha afronta nunca, jamais, em tempo algum, fora em vão! 
Amo-te eterno templo de Sophia, e é com o uso da razão, é com raciocínio lógico que intuo quando um dos membros é ou não digno da casa a qual não sou digna de atravessar quiçá a soleira; precaução com os que confundem eternidade e imortalidade com capacidade de individualizar uma força que só é autêntica quando vertida ao próximo.
Flávia NEVES Soares.


Nenhum comentário:

Postar um comentário