19 abril 2013





Instrutores e instruídos estão sujeitos rotineiramente a todos os torpores da existência. Não superestimem a ninguém, ao contrário, orem por todos os que tentam semear a relevância dos bons princípios. Normalmente não chegam à suas conclusões sem extremado labor de vida, sem sentirem o rigor das lições sobre seus destinos. Pensemos por nós mesmos, hajamos bem e viveremos em plenitude. - Flávia Neves

Nenhum comentário:

Postar um comentário