25 agosto 2013

Anjos, aliens...e nossa história

Desde a menção do ancião Enoch, em visitação ascendida à morada astral de nosso Criador e daqueles que o auxiliam na administração universal(aos quais denominamos por ANJOS) transcritas para os textos considerados ainda hoje APÓCRIFOS, "Livro de Enoch", basta passearmos pelos textos do Antigo Testamento para avaliarmos a extensão da intervenção recebida por nós, seres humanos, e a natureza da mesma.
Abraão mesmo, após sua retirada de UR, e peregrinação em busca de uma terra prometida, recebe com mesura e cordialidade, tanto a representantes do reino de Melquizedeque (Príncipe da Paz) "que tinha por cidade capital àquela que, ocupada por Davi e, morada de seu filho Jededias (Sholomon), conhecemos por Solyma, Yerushalem ( e que eram também conhecedores do D'us único, a ele fiéis)", à visitação de três humanóides (por assim dizer), seres de aspecto humano, mas de possível origem sobre-humana, e que, providos do dom das profecias, anunciam ao ancião e sua esposa, já de idade avançada, Sarai, a futura concepção de um herdeiro legítimo proveniente do ventre da vera matrona da caravana abraânica/hebraica.
Não há menção a ASAS, mas a descrição, feita por nossos ancestrais, de seres que, ante a precariedade intelectual  a eles se assemelhavam a Homens-pássaros, homens capacitados a voarem, homens que vinham do céu, do alto, do espaço, seja material ou espiritual, tais seres vinham de localidade para além da compreensão das criaturas terrestres, e, aos errantes do deserto (tribo de Abraão) apresenta dados de incontestável relevância para o fortalecimento da fé do patriarca a seu D'us, denominado por JAVÉ, desde de instruções comportamentais à revelações que se concretizaram no devido tempo. R aqui foi citado a esmo breve e pequeno exemplo.
Todas as conjecturas religiosas geradas no decurso da história humana fomentaram deidades, mitos que surpreendem pela potencialidade da intervenção, reitero, na evolução de nossa espécie. 
E quem serão eles? Qual o propósito?
A descrição crassa foi, ao que se pesa e pensa em reflexões racionais, desprovida de capacitação detalhista ausente a nossos ancestrais.
O que a Enoch pareceu um mundo paralelo, pode, porque não, ter sido mesmo! Um mundo ao qual foi encaminhado em viagem tão possível ao espaço sideral, como nos é possível a visitação lunar e o singrar espacial da atualidade! Por quê não. Alguém explica as construções absurdas em complexidade, espalhadas pelo mundo, e que fazem as pirâmides se assemelharem a legos infantis?
Questionar a existência de uma força superior regedora universal? NUNCA! Ao contrário, pode bem nos levar a compreensão de que, talvez, sejamos uma espécie neófita, à qual é concedida de tempos em tempos a presença indispensável de mentes abrilhantadas, portadoras de HD ascendido, para que, existindo entre nós, atuem na condição de mentores e apontadores ao caminho favorável de nossa gradativa e indubitável sapiência, retirando-nos do caos aflitivo de vidas sem sentido e sujeitas ao lamaçal constante de nossos impulsos egoísticos e destrutivos.


Os vinculo a um plano intermediário, donde a composição orgânica, ao menos a nossa, a eles seja desnecessária, libertando a essência espiritual para a completude da missão de estudo de nossos caracteres humanos e desvinculação a tais aspirações ilusórias e transitórias, se comparadas à concretude do lar definitivo que nos aguarda.
Quanto a aparições (visitação) de entidades indignas, é possível que A CIMA COMO ABAIXO, deva simbolizar a proximidade de problemática para com a instrução espiritual também, havendo, naturalmente, mentalidades inferiores que possam tencionar nos ludibriar por intento de manter os seres usuários de corpos físicos aprisionados às suas voluntariedades atormentadoras.
Enoch, seu neto Noé e Abraão, Jacó e Tobias, "ao que me lembro por agora" (a exceção dos comunicadores de outros credos espalhados mundo a fora), os únicos e definitivos contatos entre o cosmos e a Terra, todos receberam lições, avisos, interferências em momentos específicos para manterem ilesas suas vidas e concluírem suas missões.



Quantos de nós gostaríamos disso na atualidade...E o maior dos questionamentos, sejam eles quem forem, e venham de onde vierem, é O QUE QUEBROU A CONEXÃO ENTRE O DIVINO E O TERRENO, tão evidenciada nos primórdios da humanidade!?!
Onde estão hoje, no agora e que papel exercem, e ainda andarilhos entre nós? Qual o modo de agirem, como nos buscam, ou, como buscarmos por eles? Teria sido o ensinamento das preces uma maneira de nos ensinar como "discarmos" e conectarmos nossas mentes à sintonia considerada perdida?
Virão eles em naves espaciais (cuspidoras do fogo - propulsão dos motores- que mal conseguimos interpretar nas descrições sânscritas e mesepotâmicas?) e em vestimentas que nos faça acreditar que estamos diante de mutantes, híbridos humanos mesclados a outras espécies, falando numa linguagem embaralhada após aterrissarem nos seus postos de pousagem deixados alinhados de hemisfério a hemisfério, "uma das questionadas utilidades dos muitos monumentos que mesmo no presente seria de complexidade absurda para edificação do homem?
Tudo a seu tempo, mas, estamos, ao que tudo indica, iniciando um tempo de redescobertas, um período em que as cortinas se abrem a a verdade se expõe, ato a ato!
Enoch, se ocultado em desprezo, anuncia-se como precursor de uma realidade indiscutível: A existência de outras espécies, noutros mundos, ou em universos paralelos, e que, um dia, houve interesse de interação entre tais mundos. Se somos credores ou devedores dessa intervenção, fato é que, torcemos para que, se positiva, mantenha-se em sustentáculo vigoroso para que cheguemos a nosso destino comum. O ASTRAL SUPERIOR! 


3 comentários:

  1. Principalmente sobre o Livro de Ezequiel , relatos de que toda esta história , é tão real quanto a relação destas luzes no firmamento , apresentando agora hà LUZ da verdade , que nunca estivemos sozinhos....no UNIVERSO.....

    ResponderExcluir
  2. Super Flávia!

    Gratissimo pela verdadeira viagem histórica às origens da religião ou do espiritismo, como preferir.
    Gostei do que li e confesso, como advogada voce é uma excelente escritora.

    Adorei seu espaço e suas letras.

    Continue nos brindando e compartihando sabedoria

    Precisamos e muito neste Brasilzão.

    Com carinho

    José Carlos Bortoloti
    Passo Fundo - RS -
    www.epensarnaodoi.blogspot.com.br
    www.Twitter.com/profeborto

    ResponderExcluir
  3. Nossa Flávia Neves, não te conheço, mas faço meu os teus pensamentos, li somente este artigo e já te considero como uma irmã de caminhada, daquelas que morrem de saudades de casa " O Astral Superior. " Beijo grande e muita luz, Mariah

    ResponderExcluir