08 agosto 2013


Verdades caladas são melhores...

Já repararam o ânimo que nos adona ao escutarmos ou lermos sobre antigos mártires, líderes, profetas, personalidade abnegadas e que foram descartadas no correr de suas vidas? O mais costumeiro é tomarmos frente em disposição ferrenha de super-herói apregoando que se estivéssemos ali ouvindo suas convicções em prol da espécie humana, tomaríamos suas dores, seguiríamos seus passos e não deixaríamos sós. 
Que demagogia hipócrita e bestial. Somos completamente desprovidos de audácia e vontade, a grosso modo, de alterar o que quer que seja no mundo! Estamos rotineiramente cercados de pessoas altruístas, bem intencionadas, voluntárias da boa vontade incomum na maioria e, simplesmente NÃO OS AMPARAMOS EM NADA!
Exemplos? Todos adooooram discorrer sobre a verdade, desde que a verdade não os afete. 
Tente advertir, no condomínio onde reside, que tem serviçais de vizinhos, ou mesmo estes, extrapolando no espaço comum aos condôminos e que isso pode gerar dano predial. Tente. Vai lá. Talvez te ofereceram o cargo de síndico e você, estupidamente para agradar terceiros, caia na asneira de aceitar...Você não gosta, mas aceita. Aí é que o trem capota do trilho!
Esteja você no controle como síndico ou seja apenas um proprietário e morador, nenhum condômino procurará o vizinho queixoso para perguntar "por acaso alguma das queixas diz respeito a meu apartamento? Está acontecendo algo que eu possa ajudar?" Não. Até os vizinhos com os quais você tem convivência harmônica (talvez justamente aqueles vizinhos por quem você sente estima e evitou expôr nome e tipicidade de reclamação,  haverão de esfriarem, entrando em elevadores ristes como que em nojo  espanto, te fazendo sentir a distância que quer manter...surpreendidos porque você cometeu o grave delito de ser franco.) Chamarão as autoridades que residem no prédio para "educadamente desaconselhar clima de briga entre vizinhos " (em outras palavras, a verdade incomoda, não perturbe seu vizinho mesmo que vc tenha de, literalmente, abrir porta de elevador a qualquer hora do dia e por o saco de lixo de seu vizinho, vazando, pra fora, ou se depare com estranhos na sua garagem enquanto você sai do carro com criança e compra; lembre-se que é um direito legítimo do vizinho colocar sua segurança em risco, sua saúde e bem estar, e, será sempre seu dever aceitar e calar o boca), mas se for a filha de um deputado que se queixar de uma barata morta no espaço do carro dela, saibam todos, será entendida sua justa reclameixon! 
Se você for um profissional que tem representatividade, queixe-se do que presencia, negue-se a compactuar com o uso abusivo e indevido da autoridade de que foram investidos...Faça isso! Se pretende ser mal quisto, repelido, quando não, ignorado.
Desmerecer o que acontece de errado, e opor-se aos que advertem em benefício do bem comum faz parte da natureza humana.  
Sei de um médico, SEI SIM, DE UM MÉDICO que, tendo residido fora do país, ao se integrar ao quadro clínico brasileiro não se adequa, a ficha não cai, anos transcorrem e a ficha dele não cai, tentando estabelecer justiça, mete pés pelas mãos e se encrenca, se encrenca feio demais da conta, e a única ficha que aumenta é a dele... está respondendo a processo de Danos Morais porque discutiu com um técnico de enfermagem da equipe do SAMU de BH/MG; causa da discussão? O "técnico de enfermagem" simplesmente quis sobrepôr-se ao ordenamento clínico e,"não queria" concluir a transferência de um paciente aidético e com tuberculose do UPA para o Hospital. O médico tomando as dores do paciente soltou cobras e lagartos na mula coicera que interpunha-se ao atendimento de seu paciente e a coisa deu B.O e processo.
E o técnico de enfermagem, ao que se consta, considera a coisa mais linda do mundo perseguir o médico movendo céus e terras judiciosas, o mesmo médico que o técnico crê, diga-se de passagem, que seja um profissional sujeito a ser expelido para fora do serviço público, exatamente pela constância de animosidade que o médico gera em torno de si quando exposto às encenações de infelicidade urbana e impotência.
O técnico de enfermagem  tem tempo para procurar saber da vida do médico, quais suas fraquezas, grau de parentesco ou de afinidade dele com quem quer que seja, vai postar todos os másculos e corajosos processos que têm contra o médico no afã de "catar gravetos para inflamar uma fogueira já agrossada! Embora não consiga!" Enfim, mas nada deverá estar fazendo o técnico de enfermagem para ajudar a altear a realidade polêmica de um sistema de saúde onde as rusgas pessoais entre os profissionais envolvidos, são, quantas vezes responsabilidade de precariedade e de descaso político. A bem da verdade, talvez nem o médico!  É sempre, quer seja um médico de têmpera extravagante, ou um técnico de enfermagem incitador de encrenca, É SEMPRE MAIS FÁCIL lutar contra um homem do que contra o sistema. É mais fácil se creditar méritos enaltecendo o ganho de batalhas contra um indivíduo, do que amargar a derrota humilhante de pertencer a uma facção da sociedade que nada pode contra quem realmente os expõe às vexatórias implicações de ordem moral, jurídica ou física.
É isso, o certo tornou-se clandestino, o justo é indevido e enfatizar cobranças para alterações sociais tornou-se razão para mácula em reputação quer como vizinho, parente ou profissional.
O mundo não tendo acabado em 2012 e, nenhuma profecia dos fins dos tempos se cumprindo, penso eu que afetou o psiquê coletivo alastrando, para os bastiões da ilegalidade, a descrença numa prestação de contas a um poder superior que, equivocadamente chegamos a cogitar que sequer deve existir. Está tudo esquisito, perdido e invertido.
Sob a ótica da justiça, do direito, nada mais, a não ser as leis naturais, fazem sentido ou causam temor. As catástrofes naturais SÃO AS ÚNICAS TEMERIDADES que causam esparsos calafrios nos seres humanos, de resto, a ganância e a vaidade alimentam os brios da maioria das autoridades, e o poder, como a única real moeda corrente, é esbanjada às custas das ilegalidades, dos prejuízos causados à vida de terceiros.
Será que Deus teve sono e está dormindo? Espero sinceramente que não. Pois que nós estamos. Letárgicos a aguardar alterações que só dependem de nosso despertar, de nossas ações diárias em alteração completa de quem somos e como lidamos conosco!
Artigo redefinido aos 20/11/2013


Um comentário: